Morador do Itaim Paulista tem sonho de integrar equipe olímpica de Taekwondo em 2020

Natalia Almeida/CLN

 

O Taekwondo é uma arte marcial de origem coreana e que existe há mais de dois mil anos. O esporte está em destaque nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e a equipe brasileira é composta por quatro atletas.

 

No Itaim Paulista, zona leste da cidade, sua prática é desenvolvida em diversas academias do bairro e um de seus praticantes é o morador Flávio Pires, de 21 anos, que lidera a equipe de Taekwondo "Knockouts". O time é integrado por atletas com idades entre 8 até 21 anos. 

 

Flávio formou-se faixa preta há dois anos e começou a dar aulas na academia Corpus como forma de complementar sua renda. Começaram então os treinos de alto rendimento para alcançar o sonho olímpico: “O esporte se tornou minha vida, minha paixão, minha profissão. É tudo.” diz ele que hoje possuí 59 medalhas sendo 10 de bronze, 3 de prata e 46 de ouro, todas conquistadas em campeonatos estaduais e nacionais.

 

                                                                                                                                                                                Natalia Almeida/CLN

Treino da equipe "Knockouts" dura em média duas horas e acontece três vezes por semana

 

Para lutar, os atletas utilizam um Dobok -  uma espécie de kimono -  com uma faixa colorida que está de acordo com a graduação do taekwondista. Outros equipamentos como capacete, protetor de tórax, caneleira, protetor bucal, luvas, parapé, coquilha e antebraço são necessários para diminuir o impacto dos golpes, já que a técnica de combate utiliza apenas as mãos e os pés para nocautear o adversário. 

 

As graduações são indicadas através de faixas coloridas, que variam até a cor preta. Já os profissionais do esporte são classificados em dans: o 1º ao 3º dan é destinado ao  kiosanim (professor), do 4º ao 6º dan como sabonim (mestre), e do 7º ao 10º dan como kwandianim (grão-mestre).

 

A tradição da prática oriental traz consigo valores como honra e respeito e conscientiza seus praticantes sobre a importância de fazer bom uso das técnicas, desmitificando a violência aparente e, muitas vezes, pode ser uma forma de reverter esse tipo de comportamento.

 

"Meus tios eram todos brigões, e eu acabei pegando um pouco disso, depois de ter sido expulso de uma escola, eu conheci o Taekwondo. O esporte auxilia na disciplina e no condicionamento físico dos atletas e  não incita a violência” finaliza Pires. 

 

Outras Matérias

fotos/CLIPP STORE 2016
fotos/AEIP - Associação dos Empresários do Itaim Paulista

Draw My Life: Itaim Paulista
405 anos de história

Copyright © 1998-2016 CLN-Central Leste Notícias. Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da CLN