O “Bolo dos Reis”

Luis Dufaur/Colaroração CLN

 

No início do mês de janeiro, as vitrines de algumas padaria e docerias da região leste de São Paulo se enchem de “galettes des rois”.

 

 

  

 

 

O nome, como o de tantos produtos culinários franceses não tem tradução, mas alguns tentaram “bolo dos reis”. O bolo geralmente é servido no dia dos Reis. Em 2014 entre 85% e 97% dos franceses diziam come-lo na festa da Epifania, ou Reis.

 

As receitas, acompanhamentos e formas são incontáveis, em geral redondas. Quando contêm o prezado marzipã e chamado de “parisiense”. Com frutas abrilhantadas é o “bordelês”. Existem outras receitas em Nova Orleans (EUA), Bélgica, o “bolo rei” em Portugal, a “rosca” no México, a “vassilopita” na Grécia e a “pitka” na Bulgária, para só citar algumas.

 

O mais típico é que a criança mais nova sentada na mesa se encarregue de cortar a “galette des rois” e distribua um pedaço a cada um. Porque dentro do bolo, em alguma parte há uma fava também chamado “rei” e que faz a alegria da mesa.

 

A fava respeita a forma da humilde semente original, mas despois passou a ser substituída por pequenos objetos simbólicos imaginosos como lâmpadas douradas, ou outros.

 

O fato é que quem recebe o pedaço com a “fava” é chamado de “rei”, recebe a coroa que veio com o bolo e deve beber numa taça especial enquanto os demais cantam “o rei bebe, o rei bebe”, em meio ao gaudio geral.

 

Nos bons tempos, aliás, partia-se a “galette” no número dos presentes mais um. Esse pedaço extra era chamado “a parte do Bom Deus”, ou “parte da Virgem”, ou “parte do pobre”, e era destinado ao primeiro pobre que fosse bater a porta do lar.

 

O costume comemora a festa da Adoração do Menino Jesus pelos três Reis Magos, ou Epifania, 6 de janeiro.

 

A Epifania comemora precisamente a chegada dos Reis Magos Melchor, Gaspar e Balthazar, conduzidos pela miraculosa estrela.

 

Na Espanha, para as crianças, os Reis Magos são muito mais importantes que Papai Noel. São eles que trazem os presentes na noite de 5 para 6 do janeiro.

 

Os Reis deixam os presentes sobre os sapatinhos que elas puseram na sacada, ou na lareira.

 

É normal que o fato seja comemorado com um bolo. É o denominado Roscón de Reyes com forma de coroa, e introduz uma variedade grande em relação à galette des rois francesa.

 

 

          ( * ) Luis Dufaur é escritor, jornalista, conferencista de política internacional e colaborador da ABIM

 

 

 

 

Outras Matérias

fotos/CLIPP STORE 2016
fotos/AEIP - Associação dos Empresários do Itaim Paulista

Draw My Life: Itaim Paulista
405 anos de história

Copyright © 1998-2016 CLN-Central Leste Notícias. Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da CLN