www.centrallestenoticias.com.br
www.saomiguelpaulista.com.br
www.itaimpaulista.com.br

Escritores de São Miguel utilizam o bairro para ambientar suas histórias

Publicada em: 04-11-2016

Daniele Amorim/CLN

 

                                                                                                                                  Daniele Amorim/CLN

Escritores usam a Capela dos Índios como cenário para suas obras

 

Imagine ler sobre as ruas e moradores de São Miguel Paulista em obras literárias. Foi o que fizeram dois moradores da região que utilizaram o bairro como cenário para seus livros.

 

A jornalista Keli Vasconcelos, 34, escreveu a obra de crônicas de não-ficção "São Miguel em (uns) 20 contos contados", onde fala sobre suas experiências pessoais na região e passagens como voluntária na Copa do Mundo de 2014 e uma viagem para Minas Gerais

 

A ideia partiu dos textos que ela já produzia para o site "Jornalirismo" desde 2008 e que tornou-se livro há dois anos.

 

Já o escritor Claudemir Santos, 41, aventurou-se ao mundo do sobrenatural com a obra "Fantasmas, Demônios e Lendários". Ele apresenta casos fictícios de eventos sobrenaturais em São Miguel, além da transcrição de sua peça teatral "Mythos".

 

Os contos vieram de um blog chamado "Fantasmas e Demônios", onde Claudemir já produziu mais de 30 textos para a plataforma digital. Para saciar o desejo de possuir uma obra física, o escritor decidiu compilar algumas de suas histórias para compor o livro.

 

O livro de Keli está disponível para venda no site do JornalirismoJá a obra de Claudemir pode ser encontrada na sede da Aldeia Satelite Espaço Cultural na rua Tenente Luiz Fernando Lobo, 118.

 

Veja no vídeo abaixo o relato de ambos de como é escrever sobre São Miguel:

 

 


 

Outras Matérias

Comente essa notícia

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Draw My Life: Itaim Paulista
405 anos de história

São Paulo (SP)

Copyright © 1998-2016 CLN-Central Leste Notícias. Todos os direitos reservados.

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da CLN